Jovens do Dique da Vila Gilda realizam campanha de financiamento coletivo para intercâmbio cultural na Europa

by Instituto Querô

  • Postado em 9/05/2017

Arte no Dique oficial 2

Desde 2012, a Banda Querô, primeiro produto cultural do Instituto Arte no Dique e formada por jovens de baixa renda da comunidade do Dique da Vila Gilda, em Santos, realiza apresentações de percussão na França.

A iniciativa foi idealizada pela franco-brasileira e relações internacionais Ingrid Farrel junto ao presidente da instituição, José Virgílio Leal de Figueiredo. Da parceria, nasceu a Associação Arte no Dique França, na cidade La Ciotat, dirigida por Ingrid.

Durante esses anos, a Banda Querô se apresentou ao lado de grandes nomes da música internacional. “A chance de vivenciar culturas diferentes, se apresentar perante multidões e estar em contato com grandes músicos transformou a vida dos garotos”, explica Marcos Vinicius, da Selo Criativo, responsável pela campanha.

Um deles, Gabriel Prado, atualmente vive na Itália e trabalha como músico profissional.  “O Gabriel é um exemplo do que o intercâmbio cultural pode possibilitar: dar uma perspectiva a pessoas que enfrentam todas as dificuldades do dia a dia”, afirma José Virgílio Leal de Figueiredo.

Sem patrocínio privado para esse ano, o Instituto Arte no Dique visa manter o intercâmbio e a possibilidade que esses garotos mantenham o sonho de alcançar uma vida digna e atuarem profissionalmente na área que escolheram. Para que esse projeto transformador continue, em 2 de Maio será iniciada uma campanha de financiamento coletivo online pelo site Catarse. Interessados podem contribuir pelo link www.catarse.me/artenodique-. A campanha tem duração de quatro meses.

Ao longo da campanha, a página do Arte no Dique no Facebook (www.facebook.com/artenodiqueoficial) divulgará detalhes sobre cada um dos músicos visando envolver o público com a causa.

Banda Querô

Formada na oficina de percussão, a Banda Querô é o primeiro produto cultural do Instituto Arte no Dique. Com uma batida própria que mistura ritmo e harmonia, o grupo criado em 2003 já realizou dezenas de apresentações pelo Brasil e várias no exterior.

Com forte influência do samba reggae, vem ganhando notoriedade nos últimos anos, após o lançamento do CD de estreia “A Arte no Dique”, em 2007, que rendeu três participações na maior festa a céu aberto do mundo, o carnaval de Salvador.

O nome Querô é uma homenagem ao personagem principal de “Querô, uma reportagem maldita”, do dramaturgo santista Plínio Marcos. O presidente do projeto, José Virgílio Leal de Figueiredo, avalia que a banda Querô “representa o objetivo do Arte no Dique de formar mão de obra para a arte, a cultura e o entretenimento”.

Instituto Arte no Dique

O Instituto Arte no Dique desenvolve trabalho sócio cultural com a população do Dique da Vila Gilda na Zona Noroeste de Santos. Tem a missão de oferecer oportunidade de transformação e desenvolvimento humano e social a crianças, adolescentes, jovens e adultos através da participação da comunidade em ações educativas, de geração de renda, meio ambiente e valorização da cultura popular da região.

O projeto é desenvolvido numa das regiões de maior vulnerabilidade social da cidade, com uma população de 22 mil habitantes vivendo em condições precárias, em palafitas à beira do mangue, sobre o Rio Bugre.

Com a participação efetiva da comunidade e a contribuição dos diferentes setores da sociedade  o que poderia parecer impossível está acontecendo. Atualmente, a instituição oferece oficinas de percussão, dança, capoeira, teatro, customização,  costura e inclusão digital, atendendo mais de 600 pessoas da região.


Produtora Querô Filmes

O Instituto

O Instituto Querô é uma ONG, que apoiada pela UNICEF utiliza o audiovisual como ferramenta para estimular talentos, e ampliar horizontes profissionais para jovens em situação de risco social.

Em nossas oficinas promovemos a inclusão cultural, com aulas de cidadania, humanismo e desenvolvemos o empreendedorismo, resultando em jovens mais conscientes e participativos.

Translate »