Jovem do Querô, diretora do curta-metragem “ANA”, participa do festival Comkids 2017

by Instituto Querô

  • Postado em 18/08/2017

MODELO - Link do Face

O filme produzido pela turma das Oficinas Querô 2017, ANA, continua trazendo frutos para os nossos jovens cineastas. Depois da intensa mobilização pelas redes sociais por conta da campanha no Kickante, pela imprensa e também ganhando o apoio de empresas e personalidades importantes na luta da causa negra, como Leci Brandão, Jean Wyllys, Samara Felippo, Liniker, Ellen Oléria, Preta-Rara e Alexandra Loras, esta semana a jovem diretora do filme, Vitória Felipe, foi convidada para participar do Festival comKids Prix Jeunesse Iberoamerican, no Sesc Consolação, em São Paulo.

Confiram o relato dela de como foi passar por essa experiência:

“No dia 15 de agosto recebi o convite da Joyce Prado, profissional da APAN – Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro – minha tutora no Curta ANA, para participar do Festival comKids Prix Jeunesse Iberoamerican, compondo junto com ela a “Conversa comKids – o poder das narrativas: as histórias que fazem pensar, questionar e transformar”.

O convite veio pela Vanessa Fort, organizadora e mediadora da mesa, que nos convidou para falar sobre o conteúdo audiovisual para crianças negras e sobre o processo da APAN e do Instituto Querô em parceria na produção do curta ANA. Fiquei muito feliz pelo convite, em saber que o filme realizado pela minha turma estava chegando no ouvido da galera de São Paulo (cidade pólo do cinema): é incentivador!

Assim que recebi a notícia que teria suporte para comparecer ao evento, fiquei mega animada e um pouco tensa por ter que viajar sozinha pela primeira vez. Foi um dia de muitas primeiras vezes: primeira viagem sozinha, primeira vez andando de metrô, primeira oportunidade de compor uma mesa de conversa e primeira ocasião que pude falar do ANA para um público daquele tamanho. Curti a viagem do início ao fim, um momento para ativar o modo produção e me virar nos caminhos. Na noite anterior lá estava eu no site do metrô checando a baldeação que teria que fazer.

Contar sobre o processo de produção e gravação do ANA é sempre algo bacana para mim. Ter a oportunidade de conhecer pessoas como a Vanessa, Carol Rodrigues, Diana Almeida e Daniel Ribeiro foi muito emocionante para mim, além é claro de ter um tempo para ter conversas maravilhosas com a Joyce. Compor a mesa fez parte da minha formação, aprender a falar do meu projeto, debater sobre produção audiovisual e compreender o impacto dessas produções para nossas crianças.

Na plateia, tinham pessoas de outros países (Portugal, Filipinas etc), ter a experiência de receber uma pergunta sobre o ANA em outro idioma foi bem intenso e engraçado, percebi ali a dimensão do nosso projeto e caiu a ficha que muito antes de ver o filme pronto, eu já estava realizada ali mesmo. É de grande importância questionar e estimular conteúdos que sejam representativos e que trabalhem questões das minorias e muito grata por nosso filme estar conseguindo alcançar esses resultados.

Para quem, há dez anos, era a menina que não se via nos desenhos, nem nas novelas e filmes, que se olhava no espelho e não se entendia com amor e orgulho, participar de um evento como esse, levando meu filme de de certa forma a minha história, sem dúvida foi um presente. Gratidão a todas as pessoas que fizeram essa experiência possível! Que o mundo avance, que o cinema brasileiro cresça, que nossas crianças tenham oportunidade de serem o que nasceram pra ser e que nós, mulheres negras, ocupemos todos os espaços!”

Saiba mais sobre o evento, clicando aqui!


Produtora Querô Filmes

O Instituto

O Instituto Querô é uma ONG, que apoiada pela UNICEF utiliza o audiovisual como ferramenta para estimular talentos, e ampliar horizontes profissionais para jovens em situação de risco social.

Em nossas oficinas promovemos a inclusão cultural, com aulas de cidadania, humanismo e desenvolvemos o empreendedorismo, resultando em jovens mais conscientes e participativos.

Translate »