Cinescola Querô é realidade! Instituição de capacitação audiovisual para jovens passa a integrar nova unidade da Vila Criativa, em Santos

by Instituto Querô

  • Postado em 1/07/2018

WhatsApp Image 2018-07-01 at 09.32.42

Prédio em parceria com a Prefeitura de Santos e Governo do Estado conta com salas de edição, produção e um cinema popular, comandados pelo Instituto Querô

Depois de 12 anos de caminhada, o tão sonhado Cinescola Querô virou realidade! Inaugurado dia 30 de junho, a partir de agora o Instituto Querô passa a funcionar dentro da nova unidade da Vila Criativa, em Santos, na Vila Nova, bairro onde toda a história da Instituição começou, com as gravações do longa-metragem Querô, em 2005.

Situada na Praça Rui Ribeiro Couto, s/nº, a Vila Criativa – Unidade Vila Nova é uma iniciativa da Prefeitura de Santos, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e a empresa DP World Santos e contemplará mais de 4 mil pessoas. O prédio é um espaço público com quadra poliesportiva, playground, Padaria Artesanal do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, academia, além de 3 salas que serão comandadas pelo Instituto Querô: uma de edição, outra de produção e um cinema popular.

Para a coordenadora do Instituto Querô, Tammy Weiss, é um sonho realizado!

“Só tenho a agradecer a todos os amigos, empresas parceiras e aos jovens que caminharam conosco até aqui e acreditam no trabalho do Instituto Querô. Todos vocês fazem parte da concretização desse sonho, em parceria com a Prefeitura de Santos. Essa nova casa é mais uma oportunidade de ampliarmos ainda mais os projetos desenvolvidos pela Instituição, dentro da comunidade que deu origem ao Instituto Querô”.

O Cinescola Querô era um desejo antigo de Tammy Weiss, ao lado dos cineastas Carlos Cortez (diretor do longa “Querô”) e Debora Ivanov (diretora da Agência Nacional de Cinema – ANCINE), que juntos deram início ao projeto Oficinas Querô em 2006 após as gravações do longa-metragem Querô. Em 2007, o projeto se transformou no Instituto Querô, uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) que promove o acesso à cultura, a transformação cidadã, revela talentos, estimula o empreendedorismo e amplia a oportunidade de jovens de baixa renda ao mundo de trabalho, por meio do audiovisual.

Nesses 12 anos de atividade, o impacto sociocultural se reflete na transformação social de meninas e meninos que tornaram-se seres humanos muito mais  fortalecidos e solidários, conquistando seus espaços no mundo de trabalho. Até aqui, já são mais de 400 jovens capacitados, 150 deles trabalhando no setor do audiovisual, que realizaram só no Instituto Querô, 108 produções audiovisuais e  conquistaram 55 prêmios nos principais festivais nacionais e internacionais.

Sobre a Vila Criativa Unidade Vila Nova

Além dos projetos que o Instituto Querô já desenvolve, como as Oficinas Querô – projeto de capacitação audiovisual e transformação cidadã a jovens de baixa renda –, também estão previstas oficinas e cursos pela Prefeitura, nas áreas de dança, esportes, artes plásticas, música e capacitação profissional.

“Este novo equipamento oferecerá oportunidades e mudará a realidade das pessoas que residem na região da Vila Nova”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Jordão.

A Vila Criativa da Vila Nova recebeu o nome de “Vereador Nelson Antunes Mattos”, homenagem ao conferente de carga e descarga do Porto de Santos, que faleceu em 6 de fevereiro de 2012, aos 85 anos. Nascido e criado na região do Mercado, foi figura importante na história política e sindical da Cidade.

O Vereador Braz Antunes Mattos Neto, filho do Vereador homenageado, espera que o Centro contribuía para a revitalização do bairro, que em breve tem previsão para receber o VLT, em seu novo trecho.

Confira detalhes do prédio, apresentados em vídeo pelo prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa.
Confira o álbum completo no facebook do Instituto Querô.


Produtora Querô Filmes

O Instituto

O Instituto Querô é uma OSCIP, que apoiada pelo UNICEF utiliza o audiovisual como ferramenta para estimular talentos, e ampliar horizontes profissionais para jovens em situação de risco social.

Em nossas oficinas promovemos a inclusão cultural, com aulas de cidadania, humanismo e desenvolvemos o empreendedorismo, resultando em jovens mais conscientes e participativos.